Dicas de Negócios – Vale a Pena Investir em uma Loja Virtual?

Precisamos lembrar que investir em uma loja virtual não é um bicho de sete cabeças, e a criação de uma loja virtual pode ser considerada, simplesmente, como uma ação de venda alternativa, atualmente é cada vez maior o número de pessoas que compram todos os tipos de produtos pela internet.

Read More

Quisque a commodo lectus. Nunc vel dolor sed libero venenatis egestas. Cras non volutpat enim. Cras molestie purus id lorem sodales, in facilisis erat tristique. Aliquam luctus orci aliquet augue eleifend.

Steve Kowalsky

Vale a Pena Investir em uma Loja Virtual?

Precisamos lembrar que investir em uma loja virtual não é um bicho de sete cabeças, e a criação de uma loja virtual pode ser considerada, simplesmente, como uma ação de venda alternativa, atualmente é cada vez maior o número de pessoas que compram todos os tipos de produtos pela internet.

V

as, caso a empresa possua loja física ou não, o estabelecimento pode vender todos os tipos de produtos para diferentes tipos de públicos consumidores por meio de uma loja virtual na internet.

Ressaltamos que a loja virtual precisa ter um bom projeto de design (visual), alto nível de acessibilidade (fácil de acessar e comprar) e que tenha condições práticas para expor os produtos de forma legível e automatizada.

Custa caro investir em uma loja virtual?

Custar caro ou barato dependerá da área de atuação da empresa, do tipo de produtos e do relacionamento com o cliente.

Para o desenvolvimento de uma loja virtual é necessário que o gestor tenha conhecimentos em linguagem de programação ou contrate um profissional que presta serviços em programação e construção de sites.

Esse investimento requer a compra de programas de automação de vendas on-line e de configuração, mas caso a empresa opte por utilizar sistemas de e-commerce gratuitos disponibilizados no servidor onde o site está hospedado.

Lembramos que os sistemas gratuitos de comércio eletrônico (electronic commerce) devem respeitar todas as exigências de segurança. Atualmente, a utilização e aplicação envolve registro de dados de clientes como nome, endereço, telefone de contato, número de cartão de crédito.

  • Criação de anúncios para jornais;

  • Criação de anúncios para revistas;

  • Editoração de livros;

  • Desenvolvimento de vinhetas para TV;

  • Elaboração de identidade visual para empresas;

  • Criação da marca e suas aplicações, uniformes, cartões de visitas e outros materiais impressos, além de sinalização.

DENTRO DO MUNDO DIGITAL

Já no mundo digital, o designer gráfico pode produzir vários outros projetos, como esses:

  • Criação dos layouts para portais, sites e blogs para a internet;

  • Criação dos layouts para aplicativos de celulares;

  • Desenvolvimento visual de games (dos cenários até os personagens);

  • Criação de anúncios para sites e redes sociais;

  • Elaboração de campanhas publicitárias para e-mails;

  • Elaboração de animações para empresas.

Para realizar todos esses serviços, o designer precisa, além da criatividade, conhecer as ferramentas para edição de imagens e criação de artes gráficas, como o Photoshop, o Illustrator, o Fireworks ou qualquer outra ferramenta que o auxilie na criação das demandas.

Uma boa dica para ampliar seus conhecimentos técnicos é realizar cursos que te ensinam a lidar com essas ferramentas de desenvolvimento de jogos, arte digital, design e efeitos visuais.

QUE TIPO DE EMPRESA CONTRATA ESSE PROFISSIONAL?

Achou bacana o trabalho do designer gráfico? Ótimo! Agora, se você estiver em dúvida sobre qual tipo de empresa costuma contratar esse profissional, listamos alguns segmentos para você ficar ainda mais por dentro desse universo. Aqui, vão alguns:

  • Agências de publicidade;

  • Estúdios de design;

  • Startups de tecnologia;

  • Empresas que precisem de comunicação interna;

  • Redes de televisão;

  • Estúdios especializados em vídeos para o YouTube;

  • Shoppings;

  • Redes de supermercado;

  • Produtoras de games Produtoras de animações.

Viu como praticamente todo segmento de mercado pode precisar dos trabalhos de um designer gráfico? E olha que ainda existem os designers freelancers que podem trabalhar sem vínculo com uma empresa, de projeto em projeto, em um estúdio próprio para atender seus clientes

QUANTO EM MÉDIA GANHA UM DESIGNER?

Alguns anos atrás, o pessoal do estúdio Design & Chimarrão elaborou uma tabela de preços se baseando no tanto que os designers gráficos poderiam cobrar ou ganhar dependendo de seus trabalhos.

Só que essa tabela acabou gerando muita polêmica, virando até mesmo pauta para alguns podcasts por aí, já que ela não levava em conta o fato de que, para cada estado, cada cidade e até cada empresa, o valor do trabalho pode ser diferente.

OFERTA, DEMANDA E QUALIDADE DO TRABALHO

Assim como a variação do salário, a oferta e a demanda de trabalho para os designers gráficos também é bem grande, no entanto, é bom lembrar que o seu salário normalmente vai variar com a sua experiência de mercado e também com qualidade do resultado entregue.

Pronto! Descobriu o que faz um designer gráfico? Então, agora que você já sabe o que esse cara faz, cole em sites como o Behance, descubra quais são seus designers favoritos e comece a estudar a fundo essa profissão.

Curtiu o post? Conta pra gente o que você achou e aproveite para tirar as dúvidas sobre design gráfico aqui mesmo nos comentários.

*Fonte : SAGA

http://wwww.transvelo.com

SHOPPING CART

close